quinta-feira, 21 de abril de 2011

A Bíblia é um Livro Científico

Por Homero Neto


O best-seller do mundo é a Bíblia, também o mais lido e o menos compreendido. Milhares de pessoas neste lado ocidental do planeta acreditam que a Bíblia é a palavra inerrante de Deus. Teólogos experientes e com vários anos de estudo não chegam a uma conclusão unânime. Alguns o consideram como um simples livro de história, para outros não passa de mito.

Os ufólogos citam a Bíblia para fazer prova de que extraterrestes gigantes viveram em nosso planeta, outros mais exaltados falam em mistura de DNA, para justificar os tamanhos dos personagens Ogue de quatro metros de altura e Golias, este com dois metros e noventa centímetros.

Há quem aponte três mil e duzentas contradições na Bíblia, e há aqueles que não vê nenhuma. Ainda há muitos leitores e intérpretes da bíblia que enxergam conflito entre a Bíblia e a Ciência e outras que dizerem que não há conflito algum entre religião e ciência, porque elas se relacionam com assuntos diferentes. Não é verdade.

A ciência do direito é vastamente citada nos cinco primeiros livros da Bíblia.

A Bíblia fala de cosmologia ao relatar a criação do universo, fala sobre planetologia, ou astronomia planetária quando diz que a terra era sem forma e vazia ou quando o profeta Isaías fala sobre o círculo da Terra. Hidrografia também pode ser encontrada na Bíblia na explicação da origem dos oceanos.

A meteorologia é infalível. A previsão do dilúvio se deu sete dias antes e choveu durante quarenta dias e quarenta noites, exatamente como fora anunciado.

Há também lições de mecânica celeste no extermínio do povo amorreu, na célebre batalha de Jericó, onde o Sol parou por um dia em Gabaon e a Lua no vale de Ajalon.

Alguns livros apologéticos na ânsia de provarem que a mecânica celeste citada na Bíblia está em perfeita harmonia com a atualidade, afirmam, inclusive, que este “fato” está bem documentado na NASA.

A Bíblia nos fala de biologia quando classifica morcego como ave.

A Bíblia nos fala de botânica quando diz que o menor grão do mundo é o de mostarda e que a semente tem que morrer para depois germinar.

A Bíblia nos fala de mineralogia quando diz que ouro e prata enferrujam.

Há relatos geográficos – Jesus é levado por Satanás ao cume da mais alta montanha e de lá mostrou todos os reinos da terra.

A Bíblia nos fala sobre astronomia estrelar e até faz previsões de choques de estrelas com a Terra em um futuro muito próximo, no Livro Apocalipse.

Acho que estes exemplos são bastantes e necessários para mostrar que a Bíblia é um livro histórico e também científico. Embora deva reconhecer, tratar-se de uma ciência observacional entendida no contexto da época.

A conclusão que de imediato se faz é: Você quer aprender ciência nos livros editados no século XXI ou quer depositar seus conhecimentos científicos através de um livro antigo escrito há mais três mil e quinhentos anos?

João Pessoa, 20 de Abril de 2011

Nenhum comentário:

Postar um comentário